quinta-feira, agosto 23, 2007

ASELHICE MINHA OU FALHA DO BLOG*SPOT?

Quando quis publicar o post precedente – “A Época das Rejeições” – obviamente, cliquei em “pubblica post” (as indicações estão escritas em italiano). O texto não apareceu no blogue. Só à terceira tentativa é que a publicação surtiu efeito.

No dia seguinte, os três posts, repetidos, brilhavam, embora indicassem horas de publicação diferentes.
Aselhice minha – o que não duvido muito – ou falha do serviço Blog*Spot?

Pensei que não fosse difícil remediar, eliminando os posts em excesso. Segui as normas do costume, confirmei a eliminação, li o aviso que talvez a eliminação demorasse 24 horas, aguardei.

Já lá vai meia semana e apenas foi eliminada a fotografia do post.
Na página onde podemos modificar ou eliminar a publicação escolhida, os dois posts repetidos que eliminei, ao contrário do que se vê no blogue, desapareceram. Ora, como desapareceram, não sei como tentar uma eliminação definitiva. Bela trapalhada!
Alda M. Maia
PS:
Se agora suceder o mesmo com este post, aprendi a lição: nada de insistências

2 Comments:

At 10:47 da manhã, Blogger as-nunes said...

Bom dia, Alda
Como vai? Pelo que vejo algo vai mal por aí, no que toca aos posts.
Também tenho tido a experiência de que quando quero actualizar um post, o que me acontece com frequência, a alteração demora que tempos a aparecer. Já me aconteceu ter que fazer um post a seguir com um . , publicá-lo e ver tudo "au point". Depois é só apagar o .
eheheh
Então e férias?
Um beijinho de nós os dois (então não é que a avozaida lá foi colocar um post? Sol de pouca dura!
antonio

 
At 10:55 da manhã, Blogger as-nunes said...

Voltei atrás e sempre lhe quero dizer que tinha reparado, sim senhora.
Aqueles senhores da ANACOM quando querem até são simpáticos e boas pessoas.
Ando muito fora do activo no que diz respeito ao radioamadorismo, mas a estação cá continua completamente operacional, ou antes, havia de vistoriar as antenas. Mas e pachorra e elasticidade atlética para ir ao telhado, subir a torre e andar por lá a cirandar de chave de porcas na mão. Um dia destes tem que ser. Mas tenho que pedir ajuda.
Um abraço
antonio
ps: deixei de me identificar como asn como já deve ter reparado. Já me começava a cheirar a asn(ice).

 

Enviar um comentário

<< Home